25 de jan de 2015

Evolução dos Transportes - Sistema BRT

O Sistema BRT (Bus Rapid Transit) que tem o significado de Transito Rápido de Ônibus ou também conhecido como VLP - Veículo Leve sobre Pneus vem sendo muito utilizado em várias cidades do mundo como o principal meio de transporte público. Já são mais de 160 sistemas em cerca de 38  países em 5 continentes.
O lançamento do Sistema BRT foi em Curitiba em 1974, sendo que desde 1965 Curitiba já possuía um transporte urbano coletivo de qualidade e bem organizado. O BRT foi uma forma da cidade não precisar de metrôs, pois assim possuiria o atendimento de toda a cidade no transporte público.
Imagem extraída da internet

O Sistema BRT é diferente de toda forma de transporte feito por ônibus que vemos, pois utiliza apenas ônibus articulados ou biarticulados que percorrem a sua própria via, ou rua, ou corredor, sem trânsito. Suas paradas são feitas apenas nas estações, onde as saídas não possuem desnível do ônibus para a rua, pois as portas dos ônibus ficam na mesma altura das portas das estações, sendo um exemplo as estações tubo de Curitiba. Outra característica é o pré-pagamento da passagem, a interligação entre terminais e também a transferência de passageiros entre rotas sem a necessidade de se pagar novas tarifas.
Hoje, acredita-se que o BRT pode ser uma melhor alternativa que trens ou metrôs, pois possui menor custo em relação ao transporte sobre trilhos e também maior eficiência. Outro fator positivo do Sistema BRT é que ele vem mostrando que pode reduzir drasticamente as emissões de CO2, pois para que se tenha uma boa implantação desse sistema, as rotas devem ser bastante otimizadas e um exemplo disso é a operação do sistema Metrobús, um Sistema BRT na Cidade do México, que com a sua inauguração está reduzindo em 110.000 toneladas a emissão de CO².
Imagem extraída da internet - Créditos na imagem

O Sistema BRT trouxe além de todas essas inovações, outra no ramo de ônibus com a construção e lançamento do maior ônibus do mundo, sendo ele um Mega BRT, da marca Neobus de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Ele possui 28 metros de comprimento, o máximo que as leis brasileiras permitem e 2,6 metros de largura. Pode carregar cerca de 250 passageiros e é biarticulado. Ele foi apelidado de "Ligeirão Azul" em Curitiba, onde começaram a rodar os primeiros Mega BRT. Para se ter uma ideia da rapidez e eficiência, o "Ligeirão", por mais que tenha seu tamanho avançado consegue fazer 20 quilômetros entre o bairro e o centro de Curitiba em cerca de 15 minutos pelas suas vias.
Outro ponto bom é que ele possui muita tecnologia integrada, tanto em sua aerodinâmica, quanto no seu combustível, por utilizar biocombustível extraído da soja. Alem de tudo isso, ele possui melhorias para deficientes, sendo que toda a comunicação ajuda a deficientes visuais e também ampara deficientes físicos.
Imagem extraída da internet

Outro ponto das linhas BRTs foi a experiência feita em 1992, quando Curitiba emprestou 4 ônibus e 4 estações para Nova York. Essa experiência foi feita para comemorar o dia da Terra e foi uma boa integração entre os povos, mostrando nossas tecnologias já naquela época.
O Sistema BRT se mostra reconhecido mundialmente como já destacamos e tem tudo para se desenvolver mais ao passar dos anos, uma prova disso é o desenvolvimento do maior ônibus do mundo e de cada vez maiores estruturas em várias cidades do mundo.

*Trabalho criado em 2012 e atualizado. Mesmo assim algumas informações continuam como 2012, para manter a integridade da informação.

Obrigado pela visita!

31 de jul de 2014

Viação Sudoeste 67101 e 67201

Boa noite a todos! Demorei muito para voltar a postar, mas venho trazer novidades! Na realidade, fiz postagens há algumas semanas no Ônibus Brasil das novidades que são os dois Marcopolo Paradiso G7 1200 zerinhos da Viação Sudoeste e não tive tempo de postar aqui e mostrar as especificações, como foi a entrega, etc. Mas agora estão aqui!
Bom, os dois novos carros serão postos para rodar na principal linha da Sudoeste, a Nova Prata do Iguaçu x Joinville e os dois veículos que estavam na mesma, sendo eles o 66802 e o 66901 continuarão na empresa, rodando em outras linhas e, em período de alta rodando como reforços na Nova Prata do Iguaçu x Joinville.
Os novos ônibus trazem muitos benefícios para a Sudoeste, sendo que por serem tocos, vão gerar uma grande economia e mesmo assim, por serem modelos novos, estarão trazendo mais segurança e conforto para os passageiros, além de estampar a nova identidade visual da empresa, que aos poucos será implementada nos demais carros da frota. 
Além dos G7s, a Sudoeste já possui mais um carro praticamente pronto na Comil, sendo ele um Campione, também com motorização traseira e configuração parecida com os Marcopolo. Ainda não possuo muitas informações sobre esse modelo, mas quando ele chegar para a Sudoeste, provavelmente trago novas notícias. O bom desse investimento é que está renovando a frota e também os ânimos na empresa, já que carro novo sempre desperta novos olhares e também mais passageiros, sendo uma atualização perfeita. 
Os dois novos veículos estão em fase de demonstração e organização de documentos e logo estarão rodando. Eles contam com 40 poltronas semi-leito com descansa-pernas e Wi-Fi a bordo, além de componentes básicos, como som, A/C, WC e bebedouro para os passageiros. 
Um aspecto muito importante é a câmera de ré, que dá mais segurança aos motoristas e consequentemente aos passageiros, ponto que achei muito interessante.
Fotografei muito pouco o 67201, pois estava em ângulos difíceis e também bastante sujo da viagem que fez da Marcopolo até a Sudoeste.
Ficha Técnica:
Carroceria: Marcopolo Paradiso G7 1200. Chassi: Mercedes-Benz O-500R BlueTec 5.
Empresa: Viação Sudoeste. Prefixo: 67101 e 67201.

Obrigado pela visita e até a próxima!

17 de mai de 2014

Assento especial


Fonte
Olá a todos, hoje vou tratar de um assunto corriqueiro e que causa muita discussão entre as pessoas, o assento especial. Tanto no transporte coletivo urbano quanto no rodoviário existem hoje os assentos reservados. No caso do transporte urbano, os assentos são reservados para pessoas portadoras de necessidades especiais, idosos acima de 60 anos, gestantes ou com criança de colo e também pessoas obesas, tendo estas um banco especial. Geralmente os bancos ficam dispostos na parte da frente do veículo, antes da catraca, ou logo após a mesma. Além destes bancos, a grande maioria dos novos ônibus possuem acessibilidade para cadeirantes, com o elevador na porta do ônibus e espaço especial para os mesmo dentro do veículo, como também para deficientes visuais e seus cães guia.



O assento especial é de grande importância para que o transporte coletivo seja efetuado da forma como consta na lei, sendo direito de todo cidadão, mas o ponto que entra em meu questionamento é: Quem pode utilizar dos bancos especiais? Faço esta pergunta, pois muitas pessoas olham feio quando alguém senta em cadeiras reservadas nos ônibus, mas como fica comprovado até pela primeira imagem, quando os bancos não estão sendo utilizados e dentro do veículo não se encontram pessoas com as necessidades citadas, o uso é livre. Claro, que se alguém que necessite, adentrar o ônibus, você deverá deixar esta pessoa sentar. 
Na realidade, tudo é questão de educação, em qualquer ônibus e em qualquer situação você deve passar o seu lugar para quem tenha mais necessidade que você, sendo este um assento preferencial ou não e é isto que deve ser proposto para as pessoas, o respeito. 

8 de mar de 2014

Dupla função do motorista

Olá a todos!
Uma coisa que me intriga a muito tempo vem se mostrando assunto e problema nacional. Sempre pensei na função dupla que o motorista desempenha, especialmente quem trabalha em linhas municipais. 
Dizem que uma conversa com o motorista tira a sua atenção e isto está correto, mas se este é um fator de risco, por que a função dupla não é? O motorista também está distraído com a função de cobrador e além de tudo, isto atrapalha na mobilidade e agilidade de todo o transporte.

Por mais que a crítica seja válida precisamos nos ater a vários problemas enfrentados para que existam os cobradores. Primariamente é a falta de se achar profissionais na área, pelo mínimo em minha cidade, mas isto vem do fato de que o salário pode ser relativamente baixo e por outros pontos. O próprio motorista está em falta. Será que não é hora de valorizar mais estes trabalhadores?

Bom, em várias cidades, incluindo Maringá a dupla função foi extinta, estando em lei a sua proibição. Ainda várias outras cidades, como Santos, estarão proibindo a dupla função também. Pelo menos isto já é um avanço. Infelizmente na questão de transporte coletivo municipal, muitos problemas se somam, como a dupla função, falta de cintos de segurança, em que já fiz um post sobre. São coisas que não entram em meu pensamento como certo e sim como errado, mas que para serem mudadas, digamos que é um longo percurso, se isto acontecer.

Bom, este post foi mais para dar uma opinião minha sobre o assunto e deixar vocês a par de algumas noticias. Obrigado e até mais!